Fernando Sousa

Personal Fitness Coach


3 comentários

Protocolo para a medição da frequência cardíaca máxima

A Frequência Cardíaca Máxima vai ser medida numa subida prolongada feita a fundo, o valor atingido será o da Frequência Cardíaca Máxima. Para a medir podemos faze-lo de duas formas: 

1ª – Após realizar um aquecimento:

O atleta pega na bicicleta e pedala durante 15’ depois aumenta e diminui a velocidade obrigando a frequência cardíaca a subir e a descer. Volta a pedalar cerca de 5’ em ritmo lento para recuperar e de seguida começa a fazer a subida prolongada (com vários quilómetros), aumentando a velocidade à medida que sobe. O aumento velocidade vai fazer aumentar a frequência cardíaca. Quando não formos capazes de aumentar mais a velocidade teremos o valor da Frequência Cardíaca Máxima, podemos parar de subir. Depois de registar o valor indicado pelo pulsómetro ou mais tarde quem tiver um pulsómetro que permita passar os dados para o computador vai ver no gráfico qual o valor máximo que atingiu. No final do teste devemos pedalar lentamente cerca de 15’ para recuperarmos.

2ª – No meio de um treino:

Quando chegar à subida escolhida (com vários quilómetros), começa a subir, aumentando a velocidade à medida que sobe. O aumento velocidade vai fazer aumentar a frequência cardíaca. Quando não formos capazes de aumentar mais a velocidade teremos o valor da Frequência Cardíaca Máxima, podemos parar de subir. Depois de registar o valor indicado pelo pulsómetro ou mais tarde quem tiver um pulsómetro que permita passar os dados para o computador vai ver no gráfico qual o valor máximo que atingiu. No final do teste devemos pedalar lentamente cerca de 15’ para recuperarmos.

Anúncios


1 Comentário

Ajuste da altura do selim e da distância do selim ao guiador na bicicleta de ciclismo de estrada

                        A adequação da bicicleta ao ciclista é uma preocupação que existe em todos os utilizadores da bicicleta. São diversos os métodos e as técnicas utilizadas com esse objectivo. Quando se pergunta às pessoas como se adapta uma bicicleta ao corpo, descobre-se que existem quase tantas respostas como pessoas disponíveis para responder; cada individuo tem a sua própria teoria. Na sua maioria, estas teorias baseiam-se em informação por provar e comprovar. O corpo tende a adaptar-se virtualmente a qualquer posição, mas não se obterá o pleno rendimento do pedalar se não se adoptar a posição correcta, (Greg LeMonde e Kent Gordis, 1991). Então qual o método que devemos escolher?

       O método que proponho é o indicado por Algarra e Gorrotxategi (1996). Sugiro uma leitura da revisão da literatura do meu estudo, também publicado nesta página com o título “Estudo Comparativo entre os parâmetros de altura do selim e da distância do selim ao guiador em atletas infantis e juvenis do ciclismo de estrada” para ficarem com uma perspectiva de outros métodos existentes.

                        Algarra e Gorrotxategi (1996), falam na importância da posição básica na bicicleta. Para eles, essa posição é aquela que além de possibilitar o adequado controle da bicicleta, sobretudo permite o melhor aproveitamento da capacidade de gerar força por parte da musculatura implicada no gesto de pedalar, assim como na sua transmissão aos pedais.

                        A posição sobre a bicicleta, segundo eles, depende de dois factores, que são, a técnica individual do ciclista e a própria bicicleta desde que as medidas dos diferentes segmentos da bicicleta tenham alguma relação de proporcionalidade com o ciclista.

                        Segundo eles não existe nenhum método perfeito, mas aquele método que se baseia em parâmetros objectivos é, em seu juízo o melhor e que deixa menos variáveis nas mãos da estética e das sensações. Deve-se em todo momento tentar valorizar o maior número de parâmetros que vão ter alguma relação com a postura sobre a bicicleta.

                        O método proposto por estes autores foi baseado nas medidas antropométricas do ciclista. Sugerem que se meça o entrepernas, a coxa, o tronco, a perna, o braço e o antebraço. Para simplificar, eu sugiro que se utilize apenas a medida do entrepernas que, segundo eles, “é a medida mais importante de todas, e é a que vai servir de referência para todas as medidas da bicicleta”. Coloca-se o ciclista junto a uma parede, em pé e descalço (aconselha-se apenas com as meias de ciclismo calçadas), este afasta os pés a uma distância similar à largura existente entre ambos pedais de uma bicicleta e com um objecto sólido e que tenha uma largura aproximadamente de 1,5cm (pode ser a lombada de um livro), realiza-se uma ligeira pressão vertical no períneo (o entrepernas), de maneira a que o ciclista sinta uma pressão similar à que sente quando esta sentado na bicicleta. Marcou-se um ponto na parede e mede-se a altura do ponto ao solo. A medida obtida é o Entrepernas.

                        Para se obter a altura do selim a fórmula sugerida pelos autores é:

                        A medida do entrepernas do ciclista (E) é multiplicada pelo coeficiente 0’885, o que dá a medida da altura do selim (Hs). Esta medida corresponde à distância entre o centro do eixo pedaleiro e o topo do selim.

 

                        Altura do selim = E (medida de entrepernas) x 0,885

 

                 Convém assinalar que neste caso, esta medida é válida para os pedais tradicionais práticamente inexistentes no ciclismo de competição, e que a utilização de pedais de fixação ou blocagem automática (Look, Time, Shimano) exigiriam uma ligeira elevação do selim (entre 5 e 10mm) pela elevação do apoio do pé que trás consigo a utilização deste tipo de pedais.

                      Para se obter a medida da distância entre o selim e o guiador, a fórmula sugerida pelos autores é:

           A medida da distância entre o selim e o guiador é obtida pela multiplicação do coeficiente 13 pela medida de entrepernas do ciclista, ao qual se subtraiu o coeficiente 270. Depois dividimos o resultado pelo coeficiente 15 e obtemos a distância entre a ponta (“bico”) do selim e o centro do guiador da bicicleta.

 

                        Selim – Guiador = ((13 x Entrepernas) – 270) /15)

 

            Agora, obtidas as medidas da altura do selim e da distância do selim ao guiador é só proceder ao ajuste da bicicleta. O ajuste da altura do selim é talvez o ajuste mais fácil de fazer, no que diz respeito à mecânica da bicicleta. Basta desapertar o espigão do selim, subi-lo ou descê-lo, conforme a necessidade e voltar a apertar novamente o espigão. O ajuste da distância do selim ao guiador em termos mecânicos é uma operação complicada porque exige por vezes a mudança do espigão do guiador. Muitas vezes no mercado não existem espigões com a medida necessária para permitir o ajuste ideal. Assim, em alguns casos, teremos que fazer um ajuste que mais se aproxime do ideal com o material existente.