Fernando Sousa

Personal Fitness Coach


Deixe um comentário

Direitos do jovem atleta

Iniciou-se um novo ano, começou um novo ciclo. É um bom período para reflectir sobre o passado e projectar o futuro. Eu proponho uma reflexão sobre os direitos do jovem atleta. Penso se reflectirmos seriamente sobre este tema, certamente que o novo ano será melhor para os nossos jovens atletas.

Muitas vezes treinadores, dirigentes e pais esquecem-se que um dia foram crianças. Este esquecimento em muitos casos influi de forma negativa na prática desportiva do jovem atleta. Se calhar o querer ganhar, os resultados, o querer ter sucesso, leva a esse esquecimento. Mas temos que nos lembrar que do outro lado estão os jovens atletas. Será que para eles é mesmo importante ganhar? Ou estão mais preocupados em divertirem-se praticando um desporto que gostam? Será que para uma criança é divertido e motivador jogar apenas de longe a longe e escassos minutos? Ou praticar o desporto que o pai gosta e que o obriga a praticar?

Podemos ir mais além e reflectir sobre os motivos que levam os jovens atletas que ganharam tudo nos escalões de formação a deixar de ganhar e a abandonar a prática desportiva. Ou então procurar os motivos que levam a maioria das equipas campeãs nos escalões de formação, a não conseguirem que os seus atletas mantenham o sucesso nas equipas seniores.

Muito temos para reflectir, mas a nossa reflexão deve ser feita a partir da posição do jovem atleta. Devemos sempre pensar no que será melhor para elas, naquilo que elas pretendem e não apenas no que é importante para nós adultos. Para ajudar a esta reflexão, convido a ler os “Direitos do Jovem Atleta”.

Direitos do Jovem Atleta

  • De iniciação desportiva
  • De participar num nível de prática adequado às suas capacidades
  • De ter uma supervisão qualificada
  • De jogar como uma criança
  • De tomar decisões sobre a sua continuidade no desporto
  • De lhe ser assegurado um ambiente de prática saudável e seguro
  • De ter oportunidade para atingir o sucesso
  • De ser tratado com dignidade
  • De se divertir como praticante desportivo

(American Alliance for Health, Physical Education, Recreation and Dance Association, 1990)

Depois de reflectirem espero que as palavras de Jacques Persone, no seu livro “Nenhuma medalha vale a saúde de uma criança”, deixem de fazer sentido.

 

Anúncios